Sete desastres ecológicos causados pelo homem no mundo

Diversos desastres ecológicos causados pelo homem ocorreram durante a nossa história e servem como alerta para que medidas de segurança sejam impostas a todas as empresas.

O desastre em Chernobyl está entre os maiores acidentes ambientais do mundo *

Nós, seres humanos, sempre fizemos grandes mudanças no ambiente para garantir o máximo de aproveitamento dos recursos que o meio oferece. Além disso, modificamos o ambiente como uma forma de melhorar a nossa qualidade de vida, construindo casas e estradas, por exemplo. Entretanto, algumas vezes, os impactos negativos que nosso avanço causa são irreversíveis.

Durante toda a nossa história, vários acidentes graves marcaram o meio ambiente de forma negativa. Diversos desses acidentes provocaram a morte de várias pessoas e de outros seres vivos, além de afetar o ar, os ambientes aquáticos e o solo. A seguir listaremos alguns dos acidentes ambientais mais marcantes da história do planeta.

→ Poluição em Minemata (1954)

Em 1954, em Minemata, no Japão, animais começaram a ter convulsões e comportamento alterado. Dois anos depois, em 1956, o problema foi observado em seres humanos, que, além das convulsões, apresentavam descontrole de suas atividades motoras normais, uma doença que ficou conhecida como Mal de Minemata e que causa a morte de várias pessoas. Após vários estudos, descobriu-se que a causa do problema era a contaminação do oceano por mercúrio e outros metais pesados, o que levou à contaminação de peixes, que eram a principal fonte de alimentação da população.

→ Explosão em Seveso (1976)

Em 10 de julho de 1976, em Seveso, norte da Itália, uma fábrica de produtos químicos teve um superaquecimento em um reator. Isso causou o lançamento na atmosfera de dioxina, um composto químico perigoso e mais tóxico do que o cianeto de potássio. Inicialmente não se tinha nenhuma informação sobre a gravidade do problema, entretanto, animais começaram a morrer e pessoas foram hospitalizadas. Apenas após nove dias do acidente, foi revelada a substância causadora do problema. Além de pessoas mortas, o solo foi contaminado (1800 hectares de terra) e teve que ser removido e lacrado.

→ Vazamento em Bhopal (1984)

Em 2 de dezembro de 1984, uma fábrica especializada em pesticidas, em Bophal, na Índia, foi responsável por lançar na atmosfera 40 toneladas de gases letais, incluindo-se o metil isocianato. Logo após o acidente, milhares de pessoas morreram, entretanto, as mortes não pararam por aí, pois as consequências da contaminação apareceram ao longo dos meses. Várias pessoas apresentaram cegueira e falência dos órgãos, e crianças nasceram com problemas congênitos. Estima-se que 15.000 mortes tenham ocorrido por causa do problema e cerca de 500.000 pessoas foram afetadas. Além disso, vários animais mortos ficaram espalhados pelo local, e o solo e a água ficaram contaminados com metais pesados e derivados de cloro cancerígeno.

→ Desastre de Chernobyl (1986)

O acidente em Chernobyl, na Ucrânia, ocorreu no dia 26 de abril de 1986 quando um reator de energia nuclear explodiu, liberando uma grande quantidade de material radioativo no ambiente e provocando um incêndio que durou dez dias. Esse acidente também provocou uma chuva radioativa que pôde ser verificada na Inglaterra, Europa Ocidental, Escandinávia, União Soviética e até mesmo ao leste dos Estados Unidos, causando a morte de várias pessoas. O governo soviético admitiu 15 mil mortes, mas órgãos não governamentais estimam 80 mil mortes.

→ Liberação de óleo pelo Exxon Valdez (1989)

Em 24 de março de 1989, um navio-petroleiro chamado Exxon Valdez encalhou no Alasca e liberou vários litros de óleo nas águas da região. Estima-se que foram liberados 42 mil toneladas de óleo no mar, o que causou a morte de milhares de animais marinhos e contaminou cerca de dois mil quilômetros de costa.

→ Vazamento de Petróleo no Golfo do México (2010)

No dia 20 de abril de 2010, ocorreu uma explosão na plataforma da British Petroleum Deepwater Horizon, no Golfo do México. O acidente matou sete trabalhadores e desencadeou a liberação de aproximadamente cinco milhões de barris de petróleo no oceano. Uma semana após o acidente, foi relatada a morte de seis golfinhos e 40 tartarugas marinhas, além de várias espécies de peixe. O petróleo espalhou-se por cerca de 1500 km e, até os dias atuais, compostos químicos do petróleo são encontrados na região.

→ Rompimento da Barragem de Rejeitos em Mariana (2015)

A tragédia em Mariana, no Brasil, é o maior acidente da História com rejeitos em volume de material despejado. O acidente ocorreu em virtude do rompimento de uma barragem de rejeitos de mineração da empresa Samarco, que liberou 62 milhões de metros cúbicos de lama. O acidente levou várias pessoas à morte, além de poluir rios e matar diversas espécies de animais e plantas.

*Crédito da imagem: Liukov e Shutterstock

Por Ma. Vanessa dos Santos

Compartilhe